INEE: Substituindo Diesel por Etanol, um resumo do IV Seminário sobre Uso Eficiente do Etanol

O INEE realizou a quarta edição do seminário, em 25 de outubro de 2017, no Centro Tecnológico da Mahle, em Jundiaí, onde ocorreu ampla e construtiva discussão sobre a substituição do óleo diesel por etanol.

O evento examinou os seguintes aspectos:

  • a viabilidade técnica e econômica da substituição;
  • o mercado; e,
  • as vantagens e barreiras a serem superadas nas condições brasileiras.

    Embora o evento não tivesse um caráter conclusivo, o INEE entende que o presente texto resume a essência dos aspectos apresentados pelos palestrantes. O resumo jornalístico e os “powerpoints” das apresentações estão em Programação do evento.

    A experiência mais longa de substituição de diesel por etanol é da SCANIA, na Suécia, onde centenas de ônibus e caminhões operam com motores de ciclo Diesel usando o etanol com um aditivo (4,5% do volume) para lubrificar e garantir a explosão. A tecnologia evolui desde 1989 e apresenta emissões urbanas bem inferiores aos limites mínimos europeus. Foi usada em São Paulo (programa ECOFROTAS, 2011) com a geração mais antiga de motores, mas a fábrica brasileira pode produzir motores com as tecnologias mais recentes.

    A BOSCH do Brasil desenvolveu tecnologia para substituir parcialmente o diesel por etanol, em motor ciclo Diesel com dupla injeção. Foi testada pela IVECO no transporte de cana em 2010 com resultado positivo e economicamente viável para substituir 40% do diesel. Apesar de ter sido premiada pelo setor canavieiro, por falta de mercado a experiência foi interrompida. Uma retomada da tecnologia deve produzir resultados mais atraentes, pois, desde então, o subsídio do diesel foi reduzido.

    A possibilidade de usar motor ciclo Otto a etanol foi apresentada pela UFMG, que desenvolve e avalia protótipos. Com uma câmara de combustão apropriada e usando turbo e injeção direta, o motor apresenta um desempenho equivalente ao de um motor diesel com a vantagem de ser mais leve e compacto.

    Esse motor Otto pode substituir diretamente o diesel no campo para acionar moto-bombas de irrigação. Já é usado em Montana nos EUA e, em menor escala no Brasil, mas ambos usam motores não otimizados para o etanol. O uso em transporte é outra possibilidade; uma projetista de motores dos EUA substituiu, em uma caminhonete, um motor diesel de 6,6 litros por um Otto com 3,2 litros! O motor Otto poderia, ainda, integrar um sistema híbrido-elétrico para transporte pesado com tecnologia desenvolvida no Brasil pela ELETRABUS.

    A substituição de diesel por etanol pode reduzir, em curto prazo, as emissões decorrentes da agroindústria da cana, que consome cerca de 5% do diesel usado no país (±3 bilhões de litros/ano), e do transporte urbano de passageiros e cargas, com notável benefício ambiental. Atualmente, o setor sucroalcooleiro depende fortemente do diesel na plantação, irrigação, colheita e transporte da cana. Por conta dos acordos do clima essa dependência vai ser medida regularmente, avaliada e cobrada.

    Em cidades como São Paulo onde as emissões do diesel são particularmente nocivas, há forte pressão para substituí-lo. Embora a mídia tenha enfocado sobretudo as modalidades de eletrificação pura (trólebus, VLT, veículos a bateria), a hibridação com motor otimizado para o etanol pode ser uma importante solução, pela expectativa de menores investimentos e de resultados significativos, dada a origem renovável do etanol.

    O seminário deixou claro que políticas de governo que estão em final de preparação devem incentivar a substituição do diesel por etanol mediante soluções de mercado. O RENOVABIO, programa de incentivo à produção e uso racional de biocombustíveis, deverá monetizar os avanços na redução de emissões mediante a emissão de certificados de não emissão a serem negociados no mercado. Será um estímulo para as usinas sucroalcooleiras reduzirem as emissões substituindo o uso do diesel por etanol nas diversas etapas de seu processo de produção.

    Está sendo finalizada, também, a nova política para o setor automobilístico (Rota 2030) que incentiva o aumento da eficiência no uso do etanol nos carros. o que pode trazer para o mercado de carros, motores Otto mais apropriados ao uso do etanol que, usados em sistemas híbrido- elétricos permitem substituir motores diesel.

    Ao mesmo tempo, a Prefeitura de São Paulo está avançando uma política para reduzir as emissões urbanas obrigando o uso de veículos pesados a serem elétricos ou elétrico-híbridos. Como em 20 anos deve ser zerado o uso de combustíveis fósseis nesse transporte, vai incentivar o uso de ônibus e caminhões elétrico-híbridos a etanol que implicam em investimentos menores que naqueles puramente elétricos.

    06/11/2017

  • [Fonte: INEE]


    Leia também

    Pietro Erber, do INEE: Questões do Modelo do Setor Elétrico

    O setor elétrico brasileiro enfrenta uma crise grave. Tal como no início dos anos 1990, apresenta perda de remuneração de parte das empresas, contestação de cobranças pelo suprimento de energia ...
    Leia mais...

    Pietro Erber, do INEE: Renda Hidrelétrica

    Usinas hidrelétricas têm, normalmente, vida útil bem mais longa do que o período necessário para a amortização do investimento realizado. Após esse período, os custos da energia gerada compreend...
    Leia mais...

    Pietro Erber, do INEE: Considerações sobre o Novo Modelo do Setor Elétrico

    O adiamento da alienação do controle acionário da União na Eletrobrás apresenta ao Governo a oportunidade de concentrar sua atenção na definição do modelo do setor elétrico, no qual o papel dess...
    Leia mais...

    Osório, Saudades

    Osório de Brito faleceu no dia 15 de maio, com 79 anos. Engenheiro eletricista formado pela Escola Nacional de Engenharia da Universidade do Brasil, pós-graduado em engenharia econômica pela UFR...
    Leia mais...

    Eletrobras: Chamada Pública Procel/Edifica

    A Eletrobras convida para a Chamada Pública Procel/Edifica, divulgando a seguinte mensagem:
    "Disseminar a eficiência energética em edificações brasileiras é uma tarefa que compete a todos nó...
    Leia mais...

    INEE divulga o Relatório de Atividades de 2017

    Em 2017, o INEE organizou, realizou e participou de seminários, realizou trabalhos de consultoria, publicou artigos e divulgou informações através de seus sites: www.inee.org.br, voltado para a ...
    Leia mais...

    Pietro Erber, do INEE: Reflorestamento e Geração Elétrica

    Pelo Acordo de Paris, firmado em 2015, o Brasil se comprometeu a desempenhar relevante papel na contenção do aquecimento global. Dentre os compromissos assumidos e previstos para serem implemen...
    Leia mais...

    Isabela Cardoso, do IPOG: Projeto Luminotécnico e Iluminação Eficiente no Setor Supermercadista

    Trata-se de uma pesquisa sobre projeto luminotécnico aplicado em comércio varejista de alimentos, com enfoque no segmento de auto-serviço – supermercados no contexto atual brasileiro. Como atrav...
    Leia mais...

    INEE: Substituindo Diesel por Etanol, um resumo do IV Seminário sobre Uso Eficiente do Etanol

    O INEE realizou a quarta edição do seminário, em 25 de outubro de 2017, no Centro Tecnológico da Mahle, em Jundiaí, onde ocorreu ampla e construtiva discussão sobre a substituição do óleo diesel...
    Leia mais...

    Palestras do IV Seminário sobre Uso Eficiente do Etanol

    A quarta edição do Seminário aconteceu no dia 25 de outubro em Jundiaí, São Paulo, no Tech Center da Mahle, organizado pelo INEE, com o patrocínio da Mahle e da Copersucar.

    O uso eficien...
    Leia mais...

    INEE: Descarbonizando o Setor Energético Brasileiro

    O texto a seguir foi preparado pelo INEE para o ICS - Instituto Clima e Sociedade – ICS, como um documento de suporte para uma reunião com o projeto AGORA para discutir alternativas para minimiz...
    Leia mais...

    Pietro Erber, do INEE: MP 579, um desastre e duas questões

    Muito tem sido comentado a respeito das consequências deletérias da MP 579, convertida na Lei 12783. No entanto, apesar do que representou para o setor elétrico e para o país, pouco ou nada se p...
    Leia mais...

    Jayme Buarque, do INEE: Etanol Pode Substituir Diesel?

    O INEE havia sido desaconselhado a fazer um evento sobre a substituição de óleo diesel por etanol porque sua densidade energética é cerca de 70% daquela da gasolina e apenas 60% daquela do diese...
    Leia mais...

    INEE divulga programa do IV Seminário sobre Uso Eficiente do Etanol

    O evento será realizado em 25 de outubro, no Jundiaí Tech Center da Mahle, com o patrocínio da Mahle e da Copersucar. As sessões do Seminário abrangerão os temas: tecnologias, usos e políticas, ...
    Leia mais...

    Jayme Buarque, do INEE: Etanol, o incompreendido

    A história do uso do etanol sofre avanços e recuos e é mal compreendida desde que o homem aprendeu a produzi-lo há 10 mil anos. Hoje é mais lembrado pelos malefícios associados às bebidas. Até o...
    Leia mais...

    Newsletter Fale Conosco